Tendências e inovações do mercado em quarentena | Empresa Junior Mackenzie Consultoria

Tendências e inovações do mercado em quarentena



Desde o seu surgimento, a característica primordial de qualquer mercado é a mudança. Sabendo disso, ter em mente a necessidade de conhecer as novas tendências e inovações do seu respectivo setor é um ato inerente a qualquer negócio.

Após quatro meses de uma quarentena em âmbito nacional, alguns setores do mercado apresentaram uma adaptação rápida e eficaz, às dificuldades atuais.

Portanto, é de suma importância que micro e pequenas empresas entendam essas mudanças e busquem implementar novidades que possam lhes ajudar no processo de venda, garantindo assim algum tipo de faturamento, elemento essencial em períodos de crise.

Começaremos então pelos setores do mercado que estão paralisados no atual status de crise sanitária e distanciamento social, podendo assim, identificar três atitudes inovadoras que se tornaram fundamentais neste novo cenário de quarentena. Para início, discutiremos um panorama geral dos setores do mercado que estão paralisados na atual crise.

Panorama geral

Naturalmente, já era de se esperar um grande declínio dos serviços que sempre dependeram e/ou exigiram uma interação presencial com o consumidor.

Aqueles que dependem de movimento físico em suas lojas estão tendo dificuldade para se adaptar e seguir as novas tendências de mercado pela falta de um padrão de logística, definido de maneira segura.

Por consequência dessa forma de negócio, os setores que mais sofrem com o distanciamento social são aqueles que dependem de um contato B2C físico, como por exemplo os setores de Turismo e Aviação e aqueles que dependem exclusivamente de estabelecimentos físicos para venderem seus produtos.

Por outro lado, os serviços de caráter essencial se mantêm ativos no mercado, conseguindo em alguns casos até em aumentar suas vendas. Como foi o caso dos setores de supermercados e farmácias, que não só permaneceram abertos durante a quarentena, como conseguiram se adaptar rapidamente as novas demandas do mercado.

As mudanças em questão não se tratam apenas da implementação de medidas de higienização recomentadas pela Organização Mundial de Saúde (postes de álcool gel com pedaleira na entrada dos estabelecimentos, limpeza frequente de carrinhos de compras, controle na entrada para evitar aglomerações, etc.), mas também a utilização de aplicativos e serviços de e-commerce para facilitar e agilizar o contato com o consumidor.

E é justamente através desses casos que deram certo, que é possível analisar quais foram os fatores que proporcionaram à essas empresas a criação ou desenvolvimento dessas ações durante o período de pandemia; ou até tecnologias que já vinham se tornando tendência e apenas catalisaram seus crescimentos com a quarentena.

Podendo assim, entender novas maneiras de suprir as demandas desse novo mercado que inviabiliza o contato social e demanda ainda mais cuidados com a questão da saúde dentro do ambiente de trabalho.

Em nosso blog, temos um texto sobre ferramentas que ganharam notoriedade durante a pandemia, um material complementar a esse texto. Ferramentas para aumentar e administrar o fluxo de clientes na quarentena.

Clique no link acima e desfrute desse material interessantíssimo para o seu negócio!

Retomando...

O sucesso dos aplicativos de delivery, como Rappi e Ifood, por exemplo, já pertenciam a um setor em ascensão e apenas se consolidaram no mercado.

Ingressar sua empresa, dentro desses serviços, se torna uma possibilidade dentro do leque de alternativas que estão surgindo. Porém, é necessário ressaltar que as taxas que os aplicativos cobram podem ser altas para o seu fluxo atual de caixa, portanto entenda como anda a sua saúde financeira, para entender melhor as vantagens que esses aplicativos podem te oferecer.

“O aplicativo Rappi divulgou recentemente que teve um crescimento de 30% nos seus serviços nos últimos três meses.”

A Google também divulgou um acréscimo no número de pesquisas para os aplicativos como Ifood (aumento de 55%), Rappi (aumento de 99%), Loggi (aumento de 94%), LivUp (aumento de 73%); como publicado na reportagem de Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Também possuímos em nosso blog, um texto sobre controle de gastos e priorização de dívidas. Confira nosso material sobre Planejamento Financeiro; um conteúdo importante para um período de instabilidade financeira.

Além disso, novas formas de pagamento adentraram ao mercado para auxiliar no distanciamento, como os cartões de débito virtuais e o uso de QR Code.

As máquinas de pagamento das empresas PagSeguro, Mercado Pago, SafraPay, Cielo e SuperGet já possuem a configuração de pagamento por QR Code; o que permite ao seu negócio, a escolha das melhores opções de pagamento, tendo em vista as taxas cobradas por essas empresas.

Marketplaces também se mostram canais viáveis de venda durante a pandemia. Os grandes sites como Mercado Livre, Amazon, Magazine Luiza, B2W (responsável pela venda nos sites da Americanas.com, Shoptime e Submarino), Elo7; permitem que pequenos varejos se integrem as plataformas digitais dessas grandes marcas, a fim de ofertar seus produtos dentro de uma praça hiper frequentada, com um custo mínimo que varia de acordo com cada marketplace.

É interessante integrar o seu negócio dentro de um marketplace que oferte produtos do mesmo segmento, pois assim garante-se uma praça qualificada para a venda de seus produtos.

Outra mudança importante na economia nacional, é a realização do pedido do auxílio emergencial, uma fonte de renda mínima para a população que não possui meios de continuar trabalhando. Além disso, o governo federal está tentando criar as facilidades presentes em um banco virtual através do aplicativo Caixa Tem da Caixa Econômica Federal.

Portanto, é de interesse dos lojistas, adequar uma forma de pagamento que aceite diretamente o dinheiro presente na conta corrente do Caixa Tem.

Algumas empresas de pagamento já estão atualizando seus sistemas para a aceitação desse dinheiro pelo aplicativo, como a Cielo e a GetNet.

Com isso, pegando como exemplo as máquinas de pagamento da PagSeguro, esse pagamento se dá através da emissão de um QR Code, como ilustrado na imagem a seguir.

(Ilustração de como aceitar pagamentos via Caixa Tem / Reportagem da PagSeguro)

Ainda não temos uma previsão de fim da pandemia. Desta maneira, a fidelização de clientes deve ser priorizada, principalmente daqueles adquiridos na quarentena.

Mantendo uma boa experiência no serviço prestado, junto com uma política de promoções e comunicação (via E-mail ou SMS), proporcionando formas de pagamento acessíveis àquelas pessoas que hoje estão dependendo do auxílio emergencial, hoje se mostra o melhor conjunto de atividades para serem implementadas dentro do seu negócio, com o objetivo de manter um fluxo mínimo de transações.

Apesar de não parecer promissor, agora é um bom momento para destacar a sua empresa, uma vez que após a pandemia, as empresas que terão mais destaque serão aquelas que se mostraram confiáveis, abertas as mudanças e solidárias as dificuldades do seu nicho de stakeholders, durante a pandemia.

Encontre a solução para o seu negócio